02 junho 2014


Produtos de Beleza para as Grávidas

0

Uns tempos atrás recebi dois e-mails de leitoras do blog com o mesmo pedido: falar sobre produtos de beleza para grávidas. Como não tenho conhecimento de causa (ainda, né! hahahaha), fiz muita pesquisa e pedi a ajuda de vocês na nossa fanpage  – pra quem não curtiu ainda, fica aí a oportunidade! – pra eleger os melhores itens para as gestantes.

Por isso, resolvemos desvendá-los com a ajuda de especialistas da área que responderam às perguntas que mais afligem as grávidas, e que, uma vez esclarecidas, vão deixá-la mais linda e plena nessa fase especial, para se preocupar somente com a chegada do bebê.
1. Passar óleo de amêndoas na barriga evita estrias.
Verdade. Qualquer produto usado continuamente e que hidrate a pele, como o óleo de amêndoas, a semente de uva, a rosa mosqueta etc, vai prevenir as estrias. Com a pele devidamente lubrificada, o estiramento natural da gravidez é diminuído, não causando o rompimento das fibras que causam o aparecimento das estrias.
2. Não se pode tratar a pele com manchas durante a gravidez.
Mito. Usar corretamente o filtro solar com proteção contra os raios UVA e UVB já é de grande valia. Fora este indispensável cuidado diário, existem alguns ativos, como o 61arbutin, o algowhite, o belides e a nicotinamida, que podem ser prescritos sem nenhum problema. “Após o primeiro trimestre, a gestante pode realizar peelings físicos, como o de diamante e o de cristal ou a combinação das duas técnicas”, afirma o dermatologista Fernando Bezerra.
3. Cremes com cânfora e outras substâncias em sua fórmula para relaxamento das pernas não devem ser usados porque pode haver absorção pelo organismo.
Verdade. Alguns produtos podem ser absorvidos e fazer mal ao bebê, além de causar irritações e alergias, já que a pele da gestante é mais sensível. O ideal é dar preferência à arnica e aos extratos vegetais.
4. A gestante não pode fazer nenhuma coloração nos cabelos.
Meio mito, meio verdade. Como já dito anteriormente, a pele da gestante se torna muito sensível na gravidez e isso inclui o couro cabeludo. A tintura pode causar alergia, além do fato de que alguns componentes da fórmula das tinturas podem causar danos ao bebê. O ideal é usar tonalizantes a partir do quarto mês somente com a avaliação do rótulo e a liberação pelo ginecologista.
5. A gestante não pode fazer escova progressiva durante a gravidez.
Verdade. A escova progressiva é feita com a aplicação de formaldeído (ou formol), que pode ser absorvido pela pele e é tóxico tanto para a gestante quanto para o bebê. Como é impossível avaliar a quantidade da substância que será absorvida pela pele ou da inalação do produto, é melhor evitar esse tipo de alisamento.
6. Não se pode usar esmalte durante a gestação.
Mito. Não há contraindicação para o uso de esmalte. As unhas, assim como os cabelos e os pelos do corpo, têm o seu processo de renovação e crescimento acelerado na gestação. O que pode acontecer são falhas na formação delas, o que é traduzido em unhas mais frágeis e quebradiças.
7. É normal que os pés fiquem inchados com maior frequência.
Verdade. A circulação e a constituição do sangue, além da compressão das veias abdominais pelo útero, favorecem o edema (inchaço) das pernas. “O melhor é evitar a ingestão excessiva de sal, beber muito líquido e deitarse de lado, pelo menos, 1h por dia, para facilitar o trabalho dos rins. Se o inchaço também afetar o rosto e as mãos, é possível que esteja se instalando uma doença hipertensiva e é melhor conversar com o seu obstetra a respeito”, alerta o ginecologista Carlos Eduardo Ayres Netto.
8. Na gestação, não se pode consumir produtos light ou diet, nem adoçantes.
Mito. Os produtos diet e light têm o inconveniente de “enganar” o organismo do ponto de vista do consumo de açúcares. Isso pode dificultar a sensação de saciedade e levar a gestante a comer um pouco mais, o que pode ser refletido no ganho de peso. Quanto aos adoçantes que eles contêm, o ideal é que a grávida consuma vários deles, ao invés de utilizar sempre o mesmo, para evitar a exposição do organismo à mesma substância, embora nenhum deles seja comprovadamente tóxico nas quantidades ingeridas
normalmente.
9. A gestante não pode praticar exercícios físicos na gravidez porque corre o risco de perder o bebê.
Mito. A atividade física é de extrema importância no período gestacional para o controle de peso e da pressão arterial da mamãe. Os exercícios fortalecem a musculatura pélvica abdominal, evitam as dores nas costas e auxiliam no trabalho de parto e na recuperação do pós-parto. Não há uma proibição para as atividades, desde que a mamãe esteja apta e avalizada pelo seu obstetra. Porém, devemos evitar riscos desnecessários, como as quedas e os impactos. “Andar a cavalo, por exemplo, não faz mal ao bebê ou à mamãe, mas pode oferecer risco de queda e dores nas costas. O nível de atividade nessa fase é o que realmente interessa. Ele deve ser moderado, mas oferece benefícios, como o relaxamento e o suporte ao novo peso, e a atividade é extremamente agradável nesse período”, sugere o personal trainer Alexandre Bro.
10. Mesmo a gestante sendo sedentária, ela pode praticar atividades leves.
Verdade. Atividades regulares ajudam a manter a forma e promovem saúde e bem-estar, através dos neurotransmissores otimizados, como a serotonina e a endorfina. Atividades leves e moderadas estão liberadas, desde que tenha o aval do médico.
11. Há exercícios de alongamento que melhoram a dor nas costas, constante nesse período.
Verdade. Vários alongamentos promovem relaxamento, aumentam a oxigenação muscular, além de diminuírem e evitarem tensões.
12. A grávida não pode praticar pilates ou ioga.
Mito. Enquanto o tamanho da barriga permitir os movimentos, ela pode praticar as atividades, que, aliás, são excelentes.
13. A mulher grávida deve comer por dois.
Mito. Para o crescimento saudável do bebê, ele não precisa da mesma quantidade de nutrientes que a mãe. Por isso, não é necessário dobrar a alimentação. “Em geral, a gestante precisa de cerca de 300 a 500 calorias adicionais em sua rotina alimentar. Essas calorias extras são importantes para o desenvolvimento da criança, mas é indispensável ter um acompanhamento nutricional adequado”, afirma a nutricionista Fernanda Furmankiewicz.
14. A mulher deve comer bastante canja e canjica e beber cerveja escura para ter mais leite.
Mito. O que auxilia na produção de leite é a ingestão de muita água, sucos de frutas e água de coco, além da própria amamentação, que estimula a produção de mais leite.
15. Comer somente frutas ajuda a melhorar as náuseas matinais.
Mito. As frutas aumentam os níveis de glicose no sangue, mas o de açúcar volta a cair rapidamente, causando ainda mais enjoo do que antes. Para evitar que isso aconteça, o ideal é associar proteínas e carboidratos em todas as refeições, além de se alimentar com frequência, pelo menos, a cada 2h.
17. A prisão de ventre pode melhorar com o consumo de frutas, legumes e verduras.
Verdade. A gestante deve consumir, pelo menos, três frutas por dia, além de legumes e verduras no almoço e no jantar. Esses alimentos são ricos em fibras, que previnem a prisão de ventre, muito comum na gestação. Beber muito líquido também ajuda bastante.
16. Beber muito líquido ajuda a gestante a não ter retenção de líquido.
Verdade. Deve-se beber líquidos constantemente, de 1,5 a 2 litros por dia. Isso ajuda a combater os inchaços comuns na gravidez.
18. Controlar a alimentação pode combater a azia.
Verdade. Consumir alimentos com baixo teor de gordura e evitar ingerir líquidos durante as refeições facilitam a digestão e evitam a azia.

Segundo a dermatologista Dra. Bettina Sanson, a grávida deve começar a usar filtro solar no rosto logo no comecinho da gestação. Se não cuidar,  pode ganhar manchas no maxilar e na parte da frente do rosto. Ela conta que é melhor previnir, porque depois essas manchas são muito difíceis de tirar. Além disso, ela também indica sabonetes para peles oleosas e cremes noturnos sem ácidos, apenas hidratantes no rosto.
Para o corpo, Dra. Bettina recomenda o uso de hidratantes a base de óleo em regiões de risco, ou seja, abdome, coxas e flancos. Ela ressalta que a drenagem linfática a partir do terceiro mês de gestação também colabora para evitar o aparecimento de estrias.
Algumas marcas brasileiras tem linhas exclusivas para as grávidas e umas até tomam o cuidado de não colocar fragrância alguma nos produtos, lembrando que o enjôo é fato presente na vida de algumas delas. São hidratantes, óleos corporais, cremes para pernas e pés e até protetores solar. Vamos conferir alguns desses produtos?

Agora vale lembrar que a futura mamãe não precisa usar obrigatoriamente um produto exclusivo para grávidas, mas o importante é tratar e hidratar a pele para prevenir futuras estrias.
Se você tem alguma dica ou experiência para contar sobre o assunto, escreve aqui nos comentários para mim.

Beijinho e até a próxima =)




0 .: